segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Elefantes e suas motos!

- Eu não vou ter filhos! Não vou deixar decendentes!
- Como assim??? Por que não?? - respondi, horrorizada.
- Porque eu não vou morrer. Não da maneira convencional, sabe? Vou fazer como os elefantes quando pressentem que sua hora está chegando. Vou subir na minha moto e pegar a estrada.
Fiquei pensando nisso... Nunca vi elefante de moto! Nem nos desenhos animados mais loucos - e olha que eu já vi muito desenho animado louco!
Então, do que ele estava falando, afinal? Não pode ser que esteja falando de abandonar as pessoas que ele ama. E que o amam. Ai, meu Deus... Será que ele está falando sério? Meu coração doeu forte nessa hora! E meus olhos se encheram de lágrimas! Não poderia imaginar minha vida sem ele! Para quem eu ligaria quando o bicho pegasse lá em casa e quisesse chorar e desabafar? Quem me daria conselhos sobre o que fazer já que aquele carinha não retornou minha ligação? Hey! Vou precisar de dois padrinhos no altar, sabia?
Será que ele não percebeu? O que ele estava pensando, afinal? Será que ele acha mesmo que eu o deixaria partir assim, tão facilmente? Ora bolas! Ele foi um presente que me foi concedido pelos Céus! Sei dsso pela forma como nos conhecemos...
2001. Fazia calor. Vestia uma saia jeans até a panturrilha, regata preta, all star, uma cruz no pescoço e alguns "spikes" pelos braços. E maquiagem preta, lógico.
Entrei num cartório para resolver umas papeladas da casa nova. Um garoto, com blusa de banda e cabelos compridos me olhou e começou a se aproximar.
Ai, meu Deus! Já não bastava eu perder a tarde indo de cartório em cartório, lidando com burocráticos, ainda vou ter que dar um toco num garoto só porque ele identificou que também gosto de rock? Ninguém merece!
E ele continuou a se aproximar.
- Oi! - disse ele
Merda! - pensei.
- Oi. - tentei ir para outro balcão. Ele veio junto. Que ódio!
- Você "curte um som", né?
Não! Me visto de preto num calor de 300º porque sou masoquista! É lógico que "Curto um som"! - Pensei. Meu bom humor mandou lembranças nesse dia. Tinha ido passear e me abandonado naquele calor insuportável, típico de novembro.
- Uhum...  - respondi, tentando ser simpática. Mas não muito! 
- Legal! E que som você curte?
A-há! Eis aí minha deixa para ele correr desesperado para longe de mim!
- White Metal! Pausa para explicação: White Metal = rock evangélico. Isso, com certeza, o faria correr de mim!
- Legaaal! Eu também! Que bandas você ouve? - E abriu um sorrisão!
Nessa hora eu me desarmei. Sorri de verdade. Que legal! Era difícil encontrar, assim, do nada, pessoas que ouvem White Metal. Conversamos um pouco sobre bandas e shows que já tínhamos ido.
- Meu nome é Anselmo! Vou te dar o telefone da minha namorada! É que eu fico mais na casa dela do que na minha.
Sorri ainda mais! Ele não estava me dando mole! Que ótimo!
Alguns dias depois, me ligou um carinha:
- Oi! Meu irmão pediu para eu te ligar! Vocês se conheceram no cartório! Meu nome é Cebola!
- Espera! Pára tudo! Cebola? Seu nome é Cebola?
- Sim... Por que?
- Porque minha prima troca emails com um Cebola há pelo menos 3 anos! E não acho que deva haver muitos "Cebolas" por ai, né!
- Por acaso sua prima é a DinhaMetal? - Este "nick" parece ridículo hoje, mas era bastante original em 2001, ok?
- Ai, meu Deus! Como assiiiiimm?? Não acreditooo!!!

E lá se foram 10 anos...
E quanto aos elefantes, não me preocupo mais. Cláudia se formou em biologia e me garantiu: elefantes não andam de moto! Seja lá o que quer que o Cebola tentara me dizer com isso...

TE AMO MUITO!!!


4 comentários:

  1. Cebola é 10... gente finíssima, mas que fim levou o Anselmo?

    ResponderExcluir
  2. Show de bola.
    Vasto mundo, pequeno mundo, como acontecem as coisas né?
    Show.
    Não conheço o cebola, mas se é teu parça, é meu tambem.
    No aguardo das legendas, kkkkkkkkk.
    Aqui é multimídia, blog e msn, tamo aí, kkkkkkkkkkkkkkk.
    Bjão.

    ResponderExcluir
  3. Olá, querida Anita. Só estamos passando por aqui, pois acho que valeria dizer que tentei esclarecer o seu comentário lá no blog do Max.

    Anita, como o texto é nosso e não do Max e como percebi que houve um "ruído" na nossa comunicação, gostaria que você desse uma chagada lá para uma nova avaliação.

    Anita, sei que não nos conhecemos, mas esse mundo da web é assim mesmo, não é? Gostei aqui do seu blog. E convidamos, carinhosamente, para que você venha conhecer o nosso também.

    Abraços sempre afetuosos.

    ResponderExcluir

Loading...